Educação

Educação de Santa Inês MA perdeu mais de R$ 10 milhões em 2017 FUNDEB em queda Publicada em 11/01/2018 17:45:58

O ano de 2017 não foi fácil para o município de Santa Inês MA, em especial para a Educação, que teve que conviver com uma queda acentuada nos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) provenientes do Governo Federal.

Os números obtidos pelo Banco do Brasil - e que são acessíveis para qualquer cidadão através do Portal da Transparência - mostram que Santa Inês recebeu R$ 53.522.173,91 em 2017. Já em 2016 foram R$ 64.365.144,74, ou seja, quase 11 milhões de reais a menos. E não parou por aí, o município ainda teve o valor de R$ 2.153.334,28 descontado da conta do FUNDEB dia 10/07/2017, pois o Governo Federal havia feito um repasse extra no fim do ano de 2016 e no ano seguinte cobrou a fatura. Nem a luta da FAMEM e da bancada maranhense em Brasília conseguiu impedir.

Fechando as contas, Santa Inês MA perdeu R$ 10.842.970,83. Enquanto isso os gastos aumentaram, como por exemplo, o aumento salarial de 7,64% concedido aos professores da rede pública. Aumento justo que a prefeita Vianey Bringel não hesitou em disponibilizar.

Mesmo com todas as dificuldades, administração municipal não poderia deixar de produzir. Ao longo do ano foram implantadas várias ações, onde destacam-se O Programa Mais Educação, que consiste no reforço escolar para aprimorar a aprendizagem do aluno; O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC que assegura que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental; incentivo à produção do aluno com a Feira de Ciências realizada nas escolas e depois em um espaço externo da cidade; Realização do processo seletivo para contratação de professores, serviços gerais e vigias; entre outros.

"Todas essas dificuldades financeiras que enfrentamos em 2017, principalmente o desconto de mais de dois milhões de reais do FUNDEB, que tiveram impactos significativos nas contas do município. Em meio à crise financeira, foi possível a realização de reparos e reformas em algumas escolas no ano de 2017. Entretanto, no ano de 2018, teremos a continuidade de reformas em nossas escolas tanto na zona urbana quanto rural”, explica a secretária de Educação, Maria do Carmo Gama.

Mais em Educação


Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!